Google cancela Adobe Flash Player!

A Adobe anunciou, finalmente, os planos de pôr um fim no seu polêmico plugin de mídia para navegadores de Internet Adobe Flash Player. Em comunicado oficial, no blog da Adobe, a companhia informa que vai parar de atualizar e distribuir o Adobe Flash Player até o final de 2020 e que vai incentivar os criadores de conteúdo a migrar qualquer recurso de animação, vídeo ou game atualmente em Flash para outros formatos.


O Google iniciou sua declaração ressaltando a importância do plugin que, por 20 anos, ajudou a moldar a maneira de jogar, assistir vídeo e executar aplicações na web.

A tendência revelada pelo Google mostra que os sites estão migrando para outras tecnologias mais rápidas e mais eficientes no consumo de energia do que o Flash. “Elas  são mais seguras para que você possa comprar, acessar serviços bancários, ou fazer a leitura de documentos sensíveis”, diz o gerente de produto do Google Chrome, Anthony Laforge. O executivo destaca que os novos padrões são mais atraentes e funcionam bem no desktop e no celular.

Para a Microsoft, o HTML5, implementado em todos os navegadores modernos, fornece os recursos com melhor desempenho, preservando a vida útil da bateria e maior segurança.O navegador do Windows também vai abandonar de vez o Flash.

O Mozilla Firefox ainda permitira acesso a alguns sites específicos, “Os usuários do Firefox ainda terão a oportunidade de permitir que o Flash funcione em sites específicos que o exigem”, informa a desenvolvedora do browser em comunicado.

O Google Chrome vai continuar com a eliminação gradual. Primeiro, pedindo permissão para executar o Flash e, depois, desativando por padrão. Até o fim de 2020, o browser também vai remover completamente suporte ao Flash Player. Quem visitar um site que usa Flash atualmente ainda verá o conteúdo. Caso a página migre para outros padrões, o usuário não deve notar muita diferença — exceto que, no Chrome, não verá mais as instruções para executar o Flash manualmente. Se o site continua a usar Flash, só vai funcionar até o final de 2020.

Para o Firefox, os planos são semelhantes. A Mozilla promete, sem suporte ao Flash, um navegador “mais rápido que nunca” e mais leve. “A partir do próximo mês, internautas poderão escolher quais sites serão capazes de rodar o plugin do Flash no seu computador. O Flash será desativado por padrão para a maioria dos usuários em 2019, e somente os usuários executando a versão Firefox Extended Support Release (ESR) serão capazes de continuar usando o Flash até o final de 2020”, disse o engenheiro líder do Mozilla Firefox, Benjamin Smedberg.

Gradualmente, a Microsoft também vai eliminar o Flash dos seus dois produtos: Internet Explorer e Microsoft Edge. Para os criadores de conteúdo, a empresa divulgou um cronograma de “desapego do Flash Player” com fases em 2018 e 2019.

 

Fonte: https://www.carcasa.com.br/site/fim-do-flash-em-dezembro-de-2020/